quarta-feira, 1 de junho de 2011

Os poetas em mim



Criei tantas poesias,
De sentimentos que nunca vivi,
Mas que por algum motivo consegui fingir.
Fui o poeta da solidão,
Fui o poeta da ilusão,
Fui o poeta da morte
Por várias noites,
Minha alma morria,
Sem esperanças.
Todos esses poetas em mim
Inventaram muitas inverdades
E me torturaram em um mundo sombrio.
No momento que pensei
Ter escorregado pelo abismo
Em você,
Enxerguei meu anjo,
Que foi enviada por Deus.
Alcancei a luz através de sua alma.
Um novo poeta nasceu dentro de mim
Hoje ele recita apenas amor
O nosso amor.

3 comentários:

  1. E o amor é lindo né Rafa?!
    Bjss querido!
    Mila

    ResponderExcluir
  2. Oi Rafael! Gostei do Blog e da forma como escreves teus poemas que nada mais são do que a expressão viva de tudo o que sentes... o amor, a dor, a saudade, o medo... Tudo isso se confluem dentro de seres como nós e, como é bom possuir a mágica das palavras, da poesia, dos versos, da prosa!

    Beijos em teu coração.
    Vi o endereço do deste teu Blog ao visitar o Blog da querida Mila.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...